null: nullpx
the crown-Zappeando

Paparazzo desmente bastidores de foto de Diana e Dodi em "The Crown": "Inventada"

Mario Brenna nega que os fatos retratados pela Netflix sejam verídicos e lamenta tragédia que marcou a vida da Família Real
Publicado 24 Nov 2023 – 03:15 PM EST | Atualizado 24 Nov 2023 – 03:15 PM EST
Compartilhar
Default image alt
Elizabeth Debicki (Diana) e Khalid Abdalla (Dodi) em "The Crown" (2023) Crédito: Divulgação/Netflix

Mario Brenna, fotógrafo italiano que tirou fotos da princesa Diana e Dodi Fayed abraçados em um iate, ganhando uma fortuna na época, negou que os fatos retratados na sexta e última temporada de "The Crown" ("A Coroa"), na Netflix, sejam reais e afirmou que a forma que a história foi mostrada é "absurda e completamente inventada".

Paparazzo desmente "The Crown" sobre foto de Diana e Dodi

A sexta temporada de "The Crown" leva ao ar, no segundo episódio, o momento em que Brenna, interpretado por Enzo Cilenti, tira fotos no Mediterrâneo, em 1997, de Lady Di e Dodi, interpretado por Elizabeth Debicki e Khalid Abdalla.

A série mostra que Mohamed Al Fayed (Salim Daw), pai de Dodi, teria providenciado os cliques do casal no iate Jonikal, esperando que os registros tornassem o relacionamento deles visível ao público, dando a entender que foi planejado.

De acordo com a Vanity Fair, Annie Sulzberger, pesquisadora-chefe da produção da Netflix, diz que "existem algumas teorias sobre como Brenna conseguiu encontrar o Jonikal atracado em algum lugar no Mar Mediterrâneo"


A pesquisadora apontou ainda que a série decidiu que "uma explicação credível" foi que um dos funcionários do pai de Dodi vazou a localização do barco para o paparazzo. Mario Brenna aponta que isso não aconteceu.

Em entrevista para o The New York Times, o fotógrafo afirmou que passava todos os verões no local em que o iate estava atracado, em Sardenha, encontrando os dois por um "golpe de sorte".

Segundo seu relato, Brenna abordou o Jonikal em 1º de agosto de 1997, pensando que Diana era uma conhecida dele antes de perceber que ela era, na verdade, a Princesa do Povo.

O fotógrafo relatou ter trabalhado incansavelmente para tirar o que chama de "foto histórica", escalando um penhasco a cerca de 400 metros do iate para obter o melhor ângulo, ganhando muito dinheiro ao vender as imagens.

Brenna vendeu as fotos por cerca de 1,7 milhão de libras esterlinas (equivalente a US$ 2,1 milhões). Na época, Brenna "não estava nadando em riqueza" devido a um divórcio recente e a atitude resolveu problemas pessoais e familiares.

Depois que uma das fotos viralizou, estampando a capa do jornal Sunday Mirror, muitos fotógrafos começaram a persegui-los, na esperança de também conseguir material, o que mudou a vida de Dodi e Diana definitivamente.


A primeira parte da última temporada de "The Crown" foca no frenesi da mídia em torno de Diana e Dodi, o que contribuiu para o acidente fatal de carro, que matou os dois em 31 de agosto de 1997.

Ainda sobre a representação na Netflix, Brenna discordou de como seu personagem foi retratado, chegando a dizer em cena que para os paparazzi terem sucesso, eles devem agir como "caçadores… assassinos": "Não me identifico com o termo 'assassino'".

O paparazzo revelou também que não foi procurado por ninguém da Netflix para discutir suas experiências. A ideia de que suas fotos "poderiam ter contribuído para alimentar a caça a Diana e Dodi obviamente me entristece", chegou a afirmar. "Se não fosse eu, certamente outra pessoa teria capturado essas imagens".

As cinco primeiras temporadas de "The Crown" (2016-23) estão disponíveis no catálogo da Netflix. A sexta e última já teve a primeira parte lançada, com 5 episódios, enquanto o restante chega ao catálogo em 14 de dezembro.

"The Crown"

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse