“Pedaço de Mim” é inspirada em história real? Entenda o que é verdadeiro ou não no drama

por | jul 8, 2024 | Séries

Autora da série já explicou que há, sim, um ponto real na trama

Desde a divulgação do trailer da série, “Pedaço de Mim” vem chamando a atenção do público devido ao tema inusitado e aparentemente irreal. Na série, Liana (Juliana Paes) descobre que está grávida de bebês de pais diferentes – e, ao assistir à produção, muita gente se perguntou: afinal “Pedaço de Mim” é uma história real?

Entenda abaixo a inspiração da história do drama brasileiro da Netflix.

“Pedaço de Mim” é uma em história real?

"Pedaço de Mim" é uma história real
Liana e Tomás (Crédito: Divulgação/Netflix)

Em “Pedaço de Mim”, Liana, personagem de Juliana Paes, vive uma situação quase única. Ela engravida de gêmeos, e os pais dos bebês são diferentes; enquanto um é filho biológico do marido dela, Tomás (Vladimir Brichta), outro é fruto de um abuso sexual por parte de Oscar (Felipe Abib).

A história de Liana, que envolve uma longa trama de mentiras, rejeição, traição, chantagem e até morte, não é real. Ainda assim, o ponto central da história, a chamada superfecundação heteroparental, é.

O que é real na história de “Pedaço de Mim”

Liana com os filhos recém-nascidos (Crédito: Divulgação/Netflix)

Segundo Angela Chaves, autora da série, a ideia da trama surgiu após ela tomar conhecimento de um dos poucos casos de superfecundação heteroparental, ocorrido em 2009 com uma mulher norte-americana. Ao todo, a medicina só documentou 20 casos do fenômeno no mundo até hoje.

Esse fenômeno ocorre quando a mulher libera mais de um óvulo durante o ciclo menstrual, e tem relações com dois homens em uma janela específica do período fértil. Na sequência, dois espermatozoides – um de cada homem – precisa fecundar os óvulos, dando origem a gêmeos bivitelinos.

Portanto, para quem se pergunta se “Pedaço de Mim” é uma história real, a resposta é: depende. A trama dos gêmeos Marcos e Mateus e tudo o que a cerca, não, mas a situação vivida por Liana é, apesar de rara, possível.

Séries nacionais