Quem mais pode morrer em “Éramos Seis”, de acordo com o livro: Carlos está na lista

por | dez 19, 2019 | Televisão

Depois da partida repentina de Júlio (Antonio Calloni), muita gente se pergunta quem vai morrer em “Éramos Seis” e, se nada mudar, muitas outras perdas podem acontecer até o final da novela.

Inspirada no romance da escritora paulista Maria José Dupré, a trama promete reviravoltas e parte do elenco original não deve continuar até o último capítulo, nem mesmo Carlos (Danilo Mesquita).

Preparados para mais sofrimento? Veja a lista de quem morre, de acordo com o livro:

Quem vai morrer até o fim de “Éramos Seis”

Carlos (Danilo Mesquita)

Carlos deve continuar o maior companheiro de Lola (Gloria Pires) até os últimos capítulos e será o último a sair da casa da mãe. O protagonista parte para a luta armada na Revolução Constitucionalista de 1932, acaba ferido no combate, mas sobrevive. No romance, o médico morre no final de setembro de 1934, aos 26 anos de idade, por causa de uma doença estomacal.

Emília (Susana Vieira)

Tia Emília deve continuar rica até o final da trama e vai morar com Adelaide (Joana de Verona), já que Justina (Julia Stockler) é uma das personagens que pode acabar morrendo, se tornando uma pessoa um pouco menos esnobe com o passar do tempo. A obra de Maria José Dupré afirma que a madame morre, alguns meses após a Revolução de 1932, aos 90 anos.

Justina (Julia Stockler)

Justina ficou viúva jovem e, baseado nas informações do livro, ficará sem filhos até o fim da trama. A personagem deve morrer devido a problemas cardíacos, com mais de cinquenta anos. Adelaide e Emília acompanharão tudo de perto e sofrerão com a despedida repentina.

Lúcio (Jhona Burjack)

Lúcio sempre sonhou em estudar Direito e se envolver na política, mas a decisão custará caro e o personagem pode acabar sendo vítima da repressão polícia do governo e assassinado. Isabel (Giullia Buscacio) não dará uma chance para o amigo, mas sofre muito quando o herdeiro de Virgulino (Kiko Mascarenhas) morre.

O que acontece com a família Abílio de Lemos

Alfredo (Nicolas Prattes), o mais rebelde dos filhos, decidirá fugir de uma batida policial no local das reuniões comunistas, que passa a frequentar com mas frequência, parte para os Estados Unidos em um navio-cargueiro, em 1931.

De acordo com o romance original, Alfredo se alista na marinha norte-americana e vai se aventurar pelo mundo. Lola recebe uma carta do filho, em 1942, onde ele conta estar no Pacífico Sul, lutando contra os japoneses na Segunda Guerra Mundial.

Isabel vai se casar com Felício (Paulo Rocha) em 1933, para o desgosto da mãe, que não concorda com o fate o do genro não ser divorciado, e terá dois filhos: um deles chamado Carlos, em homenagem ao tio.

Julinho (André Luiz Frambach) seguirá a carreira no mesmo ramo do pai, mas acabará sendo transferido para uma loja no Rio de Janeiro com o passar dos anos, onde se casa com Soraya (Rayssa Bratillieri), filha do seu patrão.

“Éramos Seis”