null: nullpx
novela-Zappeando

Marcos Palmeira relembra Claudio Marzo: "O que trago dele é a tranquilidade"

Palmeira, que interpretou Tadeu na primeira versão, aprendeu bastante com o ator, que faleceu em 2015
Publicado 25 Mar 2022 – 04:17 PM EDT | Atualizado 14 Abr 2022 – 11:18 AM EDT
Reações
Compartilhar
Zé Leôncio em "Pantanal" Crédito: Reprodução/Globoplay

Marcos Palmeira é um dos poucos atores da primeira versão de "Pantanal", exibida nos anos 90 na Manchete, que volta para o remake da Globo, mas agora com um papel diferente, herdado de Cláudio Marzo, um dos atores mais inesquecíveis da trama original, responsável pelo José Leôncio e mais dois outros papéis.

O ator da Globo antes interpretava Tadeu, mas acabou sendo a escolha perfeita para assumir esse legado e dar continuidade à história de Zé Leôncio, agora mais contemporânea, confessando que, do veterano, traz uma coisa muito importante que observou nos bastidores: a tranquilidade. Entenda!

Marcos Palmeira fala sobre Cláudio Marzo

"Quando eu comecei a ler o texto, eu continuava dentro daquilo", admitiu Marcos Palmeira, durante coletiva para a imprensa. Sobre a primeira versão, o ator explica que não quis ignorar: "Cada um foi buscar alguma coisa na fonte que foi muito importante".

Na versão original, Marcos dividiu o set com Cláudio Marzo, que teve que se desdobrar em três papéis: Joventino, José Leôncio, filho do homem misterioso, além do Velho do Rio.

O ator ficou admirado ao vê-lo em cena e resolveu levar o que aprendeu com ele para o novo trabalho, eternizando Marzo, que morreu em 22 de março de 2015, aos 74 anos, em sua obra.

"Eu trago do Cláudio a tranquilidade que ele tinha para fazer novela. Em nenhum momento eu o vi desesperado e ele fazia três papéis, demorava horas para se maquiar naquele calor... Ele sempre na maior tranquilidade, uma paz, acho que trago isso um pouco".

O ator garantiu que, mesmo tendo vivido "Pantanal" na primeira vez, optou por dar um novo tom a José Leôncio, papel que divide com Renato Goés na primeira fase. "Engraçado que o Cláudio era mais novo que eu quando gravou (ator tinha 50 anos), comparado a minha idade hoje. Mas eu me sinto mais novo que ele".

"O Cláudio tinha um José Leôncio mais sóbrio, distante, até da própria relação com a Filó. E quis trazer agora um personagem mais amoroso", acrescentou o ator, afirmando ter se distanciado do veterano que considera referência na teledramaturgia: "Meu José Leôncio não tem relação com o do Cláudio".

Como a nova novela da Globo estreia já como remake, isso possibilitou aos atores saberem que caminho seguir até o fim da história, já contada 32 anos atrás. “Essas diferenças de nuances que dou para o personagem hoje, por exemplo, certamente é mais fácil do que foi para o Cláudio lá atrás. Hoje, temos uma direção, mais ou menos, dos personagens".

Remake de "Pantanal" na Globo

Reações
Compartilhar

Mais conteúdo de interesse