null: nullpx
televisão-Zappeando

Cena de Marcos agredindo Raquel emociona Helena Ranaldi ao vivo: "Difícil, pesado"

No "Encontro", a intérprete da professora agredida pelo marido em "Mulheres Apaixonadas" se mostrou tocada
Publicado 30 Nov 2023 – 09:04 AM EST | Atualizado 30 Nov 2023 – 09:04 AM EST
Compartilhar
Default image alt
Helena Ranaldi, a eterna Raquel de "Mulheres Apaixonadas" (2003), falou da pesonagem no "Encontro" Crédito: Reprodução/Globoplay

Convidada do “Encontro” (Rede Globo), Helena Ranaldi se emocionou recentemente diante de cenas de Raquel e Marcos, interpretados por ela e Dan Stulbach em “Mulheres Apaixonadas”.

Em 2003, os dois se tornaram destaque na trama e são lembrados até hoje pelas cenas de violência - e, ao se deparar com uma das mais fortes no programa, ela se mostrou mexida.

Helena Ranaldi se emociona ao ver cena de Raquel


Em meio à última semana de “ Mulheres Apaixonadas” no Vale a Pena Ver de Novo, espectadores voltaram a ficar chocados com o desfecho de Raquel, Marcos e Fred (Pedro Furtado). Violento com a esposa, Marcos eventualmente sequestra Fred e os dois morrem - única coisa que dá fim aos espancamentos sofridos pela personagem de Helena Ranaldi.


Simultaneamente, a atriz foi convidada do “Encontro” e afastada das novelas há anos, mostrou que o papel de Raquel segue mexendo muito com ela após assistir a uma das muitas cenas de espancamento.

“Essa cena, fiquei até emocionada mesmo. Óbvio que em nenhum momento ele me agrediu, mas a gente vai buscar a emoção de cada personagem e essa emoção da violência é um lugar muito difícil, pesado”, disse ela.


Afirmando nunca ter passado por violência doméstica na vida real, a atriz afirmou que a personagem fez com que ela vivenciasse a situação - e, no programa, ela refletiu sobre o tópico.

“É muito difícil. É dentro da sua casa, um lugar em que você precisa e merece acolhimento, e de repente você é agredida? É muito pesado, forte”, declarou, pontuando que a trama de Raquel e Marcos contribuiu ativamente com a luta contra a violência doméstica.


“A novela contribuiu para a mudança da lei, lembro que eu e o Dan [Stulbach] fomos a Brasília, participamos dessa mudança, teve um papel social fundamental importante que infelizmente tem que ter continuidade através de outras produções porque é um tema atual”, disse ela.

Em 2003, quando “Mulheres Apaixonadas” foi ao ar pela primeira vez, a Lei Maria da Penha não existia, e o cenário só mudou três anos depois, em 2006, quando ela foi criada.

Famosos e TV

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse