null: nullpx
Séries Netflix-Zappeando

"O Caso Asunta" na Netflix: conheça o crime real que deu origem à minissérie

Caso tomou uma grande repercussão na mídia espanhola em 2013 e chocou pelo desfecho
Publicado 3 Mai 2024 – 12:00 PM EDT | Atualizado 3 Mai 2024 – 12:01 PM EDT
Compartilhar
Default image alt
"O Caso Asunta" (2024) Crédito: Divulgação/Netflix

Nova minissérie de suspense e drama, “O Caso Asunta” (“El Caso Asunta”) chocou ao contar a história real de uma garota de apenas 12 anos, chamada Asunta Basterra, que desapareceu quase sem deixar rastros e foi assassinada. Conheça o crime que inspirou a nova produção original da Netflix.

História real que inspirou “O Caso Asunta” na Netflix

A minissérie mostra como, de forma verídica, Rosario Porto (Candela Peña) e Alfonso Basterra (Tristán Ulloa) comunicaram o desaparecimento de sua filha adotiva, Asunta, no dia 21 de setembro de 2013, apontados como responsáveis após o avanço das investigações.

Na vida real, Asunta Fong Yang, que veio da China, foi adotada por Rosario Porto, advogada, e Alfonso Basterra, jornalista freelancer, residentes na cidade de Santiago de Compostela, no norte da Espanha, que conta com leis mais flexíveis, desaparecendo em 2013, notícia que chocou a comunidade.

Pouco tempo após ser dada como desaparecida, seu corpo foi encontrado à beira de uma estrada rural, quando os pais se tornaram os primeiros suspeitos de terem cometido o crime, devido à ausência de sinais de luta corporal. Durante o julgamento do assassinato, novos detalhes vieram à tona.

O casal estava passando pelo divórcio e Rosario, que perdeu os pais em um curto espaço de tempo, teria tido um colapso nervoso que resultou no assassinato de Asunta. As análises forenses do corpo da criança constataram altas concentrações do sedativo lorazepam antes da morte, quando foi provado que Alfonso obteve altas doses do medicamento antes de comunicar o desaparecimento.


Os depoimentos de professores e colegas de Asunta na escola também foram ouvidos, quando alguns estudantes revelaram que a pequena já tinha mencionado o fato da mãe estar tentando matá-la, comentário que foi alvo de preocupação. A conclusão foi de que o casal agiu em conjunto para sufocar Asunta e ocultar o corpo.

O caso foi um dos mais trágicos e perturbadores da história da Espanha. Em 2020, Rosario Porto, condenada pelo crime, tirou sua própria vida na prisão, enquanto Alfonso, atualmente, ainda cumpre a sentença de 18 anos imposta ao casal pelo assassinato da criança.


Compartilhar

Mais conteúdo de interesse