null: nullpx
a liga extraordinária-Zappeando

Pegou mal: 7 diretores que criticaram atores de seus filmes

Publicado 26 Jul 2016 – 04:45 PM EDT | Atualizado 20 Mar 2018 – 12:57 PM EDT
Compartilhar

Normalmente, os diretores do cinema não ganham muito destaque na mídia por declarações bombásticas, mas pela produção e exibição dos filmes que fazem.

Disputas polêmicas dentro da equipe de filmagem não são muito comuns nos bastidores, ainda mais envolvendo as estrelas principais. Porém, tudo é possível por trás das câmeras. Conheça a seguir 7 casos de diretores que tiveram atritos com os atores de seus filmes.

Veja também:

Diretores que falaram mal de atores

#1 J.J. Abrams e Daisy Ridley

Ouvir histórias negativas sobre o diretor J.J. Abrams é surpreendente, a julgar pela boa fama que ele mantém no mundo do cinema. No primeiro dia das filmagens de “Star Wars VII – O Despertar da Força”, Abrams chamou a atuação da protagonista Daisy Ridley de ‘wooden’, expressão que significa desajeitada, desanimada.

A atriz comentou estar em meio a um ataque de nervos quando recebeu a crítica, bem na hora em que o set estava lotado. Não foi um bom primeiro dia.

#2 Kevin Smith e Bruce Willis

O escritor e geek confesso Kevin Smith já dirigiu alguns filmes marcantes, como “O Balconista”, “Procura-se Amy” e “Dogma”, mas também comandou alguns esquecidos. “Tiras em Apuros” é um deles, uma comédia que retoma o clichê policial e tem Bruce Willis como protagonista. Smith declarou que trabalhar com Willis foi completamente frustrante, algo que lhe “esmagou a alma”.

Talvez pela disputa de egos, ou pela personalidade que apenas não combinou, o diretor ainda disse que Willis não ajudou em nada na produção do filme, pelo menos não como ele imaginava.

#3 Michael Bay e Megan Fox

Megan Fox atacou primeiro, declarando que Michael Bay, diretor da saga “Transformers”, poderia ser comparado a Hitler, de tão horrível que era trabalhar com ele. Bay não ficou em silêncio e rebateu a crítica, dizendo que Megan não tinha foco nenhum no set e que fazer um filme não seria sempre divertido.

A acusação feita pela atriz, envolvendo um dos governantes mais cruéis da história, fez com que Steven Spielberg, mentor de Bay, ordenasse a demissão imediata de Megan. No fim, ela e o diretor fizeram as pazes, e voltaram a trabalhar juntos no filme “As Tartarugas Ninja 2”.

#4 Paul Schrader e Lindsay Lohan

O aclamado roteirista de “Touro Indomável” e “Taxi Driver” se encantou pela atriz Lindsay Lohan, e ofereceu a ela um papel em seu filme “The Canyons”, de 2013. Ela ganharia apenas 100 dólares por dia de gravação, mas sua atuação custaria muito mais no relacionamento com o mundo cinematográfico.

Schrader não a criticou diretamente, mas declarou que Lindsay “se daria muito melhor em um filme que não envolvesse uma coestrela”, ou seja, ela não sabe trabalhar em equipe.

#5 Judd Apatow e Katherine Heigl

A atriz Katherine Heigl é sinônimo de problemas desde sua participação em “Grey’s Anatomy”, em que trocou farpas com a criadora da série, Shonda Rhimes. Outra pessoa criticada por Katherine foi Judd Apatow, que a dirigiu no filme “Ligeiramente Grávidos”. Ela declarou que o diretor é sexista, por reforçar os estereótipos da mulher moderna. O próprio Apatow rebateu a atriz, dizendo que esse era o objetivo ao caracterizar os personagens do filme.

#6 Stephen Norrington e Sean Connery

A adaptação cinematográfica de “A Liga Extraordinária” acabou com a carreira do diretor Stephen Norrington e forçou a rápida saída de Sean Connery do projeto. O ator declarou que a experiência foi um pesadelo desde o primeiro dia, quando achou que o diretor era “um lunático”. No fim, Norrington concluiu as gravações e todos pensaram que ele iria continuar no mercado, mas aquele foi seu último filme.

#7 Vincent Gallo e Christina Ricci

Faz anos que Gallo não dirige um trabalho relevante, e mesmo assim é bastante conhecido por não medir as palavras. Pelo filme “Buffalo 66”, ele fez algumas declarações sobre a atriz Christina Ricci, com quem, inclusive, contracenou. Ele chamou Christina de mal agradecida, alcoólatra e de “um cachorrinho, que faz o que eu mando”. Não se sabe de onde veio tanto ódio, mas quando Gallo diz que não gosta dela, nós acreditamos.

Bastidores do cinema

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse