Vestido polêmico de Katy Perry está rendendo até processo: veja e entenda o caso

por | jun 30, 2016 | Entretenimento

O vestido que Katy Perry usou no Met Ball, o baile de gala do Metropolitan Museum deste ano, vira caso de acusação e processo por “plágio”, mas não por razões de alfaiataria. O alvo é o badalado estilista Jeremy Scott, que assina as peças da marca Moschino, umas das mais queridinhas do momento.

Leia também:
Vestidos de festa: os 10 melhores looks das famosas
Como combinar sapato com vestido de festa?
Vestido preto em casamento pode SIM! Nós ensinamos

O grafiteiro Joseph Tierney, conhecido como Rime, alega que no vestido Moschino, desenhado por Jeremy Scott e usado por Katy Perry durante o MET deste ano, sua arte em forma de grafite foi copiada. Em sua defesa, Scott disse que os desenhos foram criados por um artista gráfico e isso não tem relação com ele.

O artista do Brooklyn entrou com uma ação contra a violação de direitos autorais contra o designer Jeremy Scott por acreditar que vestido da Moschino imita uma assinatura de grafite que ele pintou em um edifício em Detroit. Uma audiência foi marcada para o dia 21 de dezembro, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Nos documentos arquivados em 5 de agosto em um tribunal da Califórnia, os advogados de Tierney alegam que, ao criar o vestido e tê-lo amplamente fotografado no Costume Institute do Metropolitan Museum, em um evento de angariação de fundos anual de arte, Scott e Moschino usaram projetos de Tierney sem licenciá-los.

Esta não é a primeira vez que um designer de moda tem sido o foco de uma propriedade de ação intelectual. Em 2014, três artistas de rua processaram Roberto Cavalli por supostamente usarem em suas roupas desenhos de grafite de uma pintura mural que haviam pintado, colocando-as na coleção do designer Just Cavalli.