Simaria fala sobre retorno aos palcos após doença e revela: “Ainda não estou curada”

por | ago 7, 2018 | Entretenimento

Depois de quatro meses longe dos palcos, Simaria está pronta para voltar. Em conversa com a imprensa nesta terça-feira (6), a cantora falou abertamente sobre a tuberculose que enfrentou e como pretende levar a carreira daqui em diante.

“Eu ainda não estou curada, faltam 2 meses e meio de tratamento. Já me sinto melhor e meu médico me liberou pra trabalhar moderadamente, fazer dois shows na semana, me cuidando. Não posso mais entrar numa pilha de trabalho que me faz deixar de comer. Se não, minha tuberculose pode voltar e posso morrer”, afirmou.

Faltando pouco tempo para o fim do tratamento, ela se prepara para se juntar à irmã novamente com um ritmo bem menos acelerado do que antes e revela o que mudará na rotina das Coleguinhas.

Volta de Simaria aos palcos

Simaria foi diagnosticada com tuberculose ganglionar. Ao todo, foram 18 dias internada, além de um tratamento rigoroso por mais alguns meses.

“Um dia levantei minha blusa e vi que estava muito magra. Nos meus últimos dias, um grupo de fãs olhou pra mim e disse que eu precisava me cuidar. Fiquei preocupada porque pra um fã ter coragem dizer isso é porque estava feia a coisa”.

Além da tuberculose, Simaria encontrou outros problemas de saúde: nos dentes, por conta de lentes mal colocadas, e também nos joelhos, que hoje ela trata com fisioterapia.

“Cheguei a 42 quilos. Meu corpo ainda não voltou ao normal. Agora aprendi que preciso beber água, me alimentar melhor… Eu não fazia nada disso. Agora coloquei na minha cabeça que meu corpo precisa estar bem”, contou.

Com uma recuperação lenta, Simaria decidiu se desligar completamente das redes sociais e focar em sua saúde. “Quis saber como era voltar ao passado. Cada dia que passava, o trabalho me consumia mais e eu tinha mais consciência que o que eu estava vivendo era em parte real e em parte só rede social”, desabafou.

Durante o tempo em que esteve afastada, Simaria aproveitou para focar em sua família. A cantora é casada com o espanhol Vicente e tem dois filhos: Giovanna e Pawell.

“Se estou viva hoje, tenho que agradecer ao meu marido e filhos. Eu precisei muito deles. Quando chegava em casa, só nós quatro, era onde eu me sentia acolhida. Sem cobrança, sem ninguém me pedir nada”, contou.

https://www.instagram.com/p/Bk-hx-9HB8J/?taken-by=simaria

Em julho, a cantora viajou com eles para as Ilhas Maldivas.

“Acabei mostrando eles mais nas redes porque eu estava tão feliz que quis mostrar pra vocês também esses anjos que estão à minha volta. Eles foram fundamentais para minha recuperação. Não tem como não voltar renovado de um lugar em que só se recebe amor”.

Novo ritmo para as Coleguinhas

Enquanto Simaria esteve afastada, Simone tocou a agenda de shows da dupla sozinha. “Eu sofria também vendo a Simone sozinha em cima do palco. Não parei antes pelo medo de deixá-la cantando sozinha. Sabia que estava doente, mas pensava na minha irmã e nos fãs e nunca pensava em mim”, desabafou Simaria.

A doença foi um sinal de alerta para as duas, que perceberam como o ritmo insano de trabalho as prejudicava. “No momento em que me vi só sem Simaria foi muito difícil. Serviu para eu aprender muitas coisas. Com a ausência dela, aprendi que precisamos desacelerar”, disse Simone.

“É muito bom subir no palco, ver a multidão cantando, desfrutar do sucesso. Mas a felicidade não está só nisso. Quando a ficha cai, você vê que precisa dar valor pra outras coisas, tomar cuidado”, continuou Simone.

AgNews

Com liberação para dois shows por semana inicialmente, Simone e Simaria pretendem “trabalhar com consciência” daqui em diante. “As pessoas nos adoram, se continuarmos produzindo material de qualidade as pessoas não vão se esquecer da gente”, contou Simaria, que admitiu estar ansiosa com o retorno.

O show de volta das Coleguinhas será realizado no Espaço das Américas, em São Paulo, no dia 9 de agosto. A abertura será por conta de Carlinhos Maia, influencer e amigo pessoal das duas, e também contará com a participação especial do padre Fábio de Melo.

Doença de Simaria