Cortar carboidrato e malhar faz mal? Atriz aposta na técnica e médica comenta

por | jun 30, 2016 | Entretenimento

A ótima forma exibida por Helena Ranaldi, aos 49 anos, é fruto de uma rotina regular de exercícios físicos e de uma alimentação balanceada. Porém, a famosa faz uso de um método polêmico quando quer secar. “Quando eu acho que engordei, corto o carboidrato e intensifico a malhação. Dá resultado para mim, mas, como meu metabolismo não é mais tão rápido, antigamente mudava mais”, disse, em entrevista à revista Shape. Porém, será que cortar carboidrato e pegar mais pesado nos exercícios é saudável?

Leia também:
Médica dos famosos lista 10 fórmulas que emagrecem QUALQUER pessoa
Quem é a médica que faz os famosos emagrecerem?
Gema do ovo faz mal? Engorda?

Cortar carboidrato faz mal?

De acordo com a médica ortomolecular Sara Bragança, a restrição do carboidrato deixa a pessoa muito enfraquecida. “Nossas fontes de energia são o açúcar ou o carboidrato. O carboidrato não é um vilão, desde que não provenha de farinha refinada. E é aí que entram os alimentos funcionais, os carboidratos saudáveis: a batata-doce, o inhame, o arroz integral”, diz.

A médica dos famosos, que elaborou a dieta que fez Bruno Gagliasso perder 17 kg e é responsável pelo cardápio de várias outras celebridades, diz que não é completamente contra o cortar carboidratos, mas que isso deve ser só para “dar um susto no corpo”. “É feito só em caso de ‘emergência’. Algo de 15 dias, por exemplo. O corpo reduz a retenção de líquido, mas isso deve ser compensado com a ingestão de outras fontes de energia: da gordura das carnes, por exemplo”, ensina. Mas ela é contra, sim, seguir uma dieta dessas sem acompanhamento. Por isso, sempre consulte seu médico antes de adotar qualquer dieta muito restritiva.

Intensificar atividade física e cortar carboidrato: não pode

Apesar de, em alguns casos, Sara recomendar a dieta sem carboidratos, ela condena totalmente essa prática combinada à intensificação dos exercícios físicos. “Não pode. Mesmo substituindo por outras fontes, como a gordura da carne, que comentei, não há energia suficiente para pegar mais pesado na malhação, para correr ou pedalar mais. Algumas pessoas chegam a desmaiar, o rendimento é muito sofrido para o corpo. É perigosíssimo”, alerta a médica, que ainda alerta que a pessoa corre o risco de perder massa magra e, depois que voltar a comer os carboidratos, vai ter menos músculos e acumular mais gordura.