Andressa Urach pode ficar com bumbum deformado. Saiba o que aconteceu com a famosa

por | jun 30, 2016 | Entretenimento

Os procedimentos estéticos realizados por Andressa Urach ainda estão causando danos à saúde da famosa. A apresentadora poderá ficar com o bumbum deformado, de acordo com cirurgião plástico, Felipe Tozaki. O médico declarou em entrevista ao portal F5, da Folha, que a assimetria é consequência da cirurgia de emergência feita para retirar parte do hidrogel e metacril aplicados no glúteo. A inflamação da coxa “subiu” para o tecido gorduroso do glúteo esquerdo, causando fortes dores.

Leia também:
Andressa Urach: cirurgias transformaram corpo da famosa; veja fotos antigas
Hidrogel era truque de famosa para ter coxas grossas sem malhação 
Hidrogel: o que é e como aplicar a “plástica sem cirurgia”

Segundo o responsável pelo quadro clínico da ex-vice Miss Bumbum, a medida cirúrgica foi adotada como forma preventiva para evitar uma infecção bacteriana após uma inflamação no glúteo esquerdo, causada pelos preenchedores aplicados em 2012. Tozaki explicou que a retirada total do hidrogel e metacril do organismo é a parte mais difícil do processo. São substâncias que ficam entre a pele, na gordura e também músculo e, por isso, a remoção se torna ainda mais complicada. Além disso, também não poderiam ter sido aplicados juntos. “Isso inclusive consta na bula do hidrogel. Existe essa contraindicação para não misturar as duas coisas”, disse ao Ego. A famosa, no entanto, esboçou vontade de retirar todo o bumbum, para, assim, tentar sanar os problemas. 

Bumbum da Andressa Urach: como vai ficar? 

Segundo o médico, o lado direito do glúteo não mostrou sinais de inflamação. Sendo assim, as nádegas poderão ficar desiguais. “O mais importante neste momento é cuidar da saúde e da vida dela. A parte estética a gente resolve depois”, disse ao F5. Já pensando em possíveis soluções, o especialista mencionou enxerto de gordura da própria paciente ou uma prótese de silicone. Porém, o especialista garante que essas intervenções só poderão ser feitas dentro de um ou dois anos.  

Riscos de paralisia nas pernas

O estado de saúde está estável após a cirurgia, segundo boletim médico. Como houve apenas uma inflamação do tecido gorduroso, Andressa não corre perigo de perder os movimentos. O quadro poderá mudar somente se houver uma infecção no músculo do glúteo, que é o responsável pelos movimentos da perna, explicou Tozaki ao Ego. “Pode acontecer uma infecção nesse músculo ou não. Se acontecer um dia, torcemos para que não, necessariamente teremos que retirar e aí, sim, ela pode ter essa sequela de não conseguir movimentar a perna”, completou o cirurgião.